Esgoto e Mortalidade infantil

Até quando o esgoto irá matar?

Números divulgados pela Secretaria de Saúde de Novo Hamburgo, em maio, revelaram um dado assustador: os índices da mortalidade infantil no município estão acima da média estadual. São 16,4 crianças mortas a cada mil nascimentos. No Estado, a média é de 12,8 crianças mortes.

E o que o meio ambiente tem a ver com isso?

Aos olhos da Prefeitura Municipal, parece que a resposta é “pouco, muito pouco”.

O Executivo lançou o Pacto com Novo Hamburgo para Redução da Mortalidade Infantil, com ações interessantes sob o aspecto da saúde, mas esqueceu de uma das principais causas do índice que envergonhou até o prefeito Tarcísio Zimmermann: a falta de saneamento básico e tratamento de esgoto.

Estima-se que 80% das doenças humanas são relacionadas à água não-tratada, ao saneamento precário e à falta de higiene básica. Doenças transmitidas dessa forma provocam pelo menos 25 milhões de mortes a cada ano em países sub-desenvolvidos, gerando custos altíssimos para a vida humana.

O que Novo Hamburgo precisa entender é que há uma forte ligação entre a falta de acesso à água limpa e o esgoto sem tratamento com os altos índices de mortalidade infantil.

O Roessler parabeniza o Executivo Municipal pelas ações do pacto recém-lançado, mas lamenta que as medidas sejam emergenciais, sem atacar as causas. Ignorar a necessidade de implantar o tratamento de esgoto em toda a cidade é ser conivente com a morte dessas crianças.

Desejamos sorte aos nossos governantes no enfrentamento desse grave problema, torcemos pela reversão dos índices lamentáveis divulgados e nos colocamos como parceiros na discussão por soluções em saneamento.

É enfrentando as causas que se minimiza as conseqüências.

É preciso mais saneamento

Dados divulgados em maio revelaram que Novo Hamburgo registrou índice de mortalidade infantil superior à média estadual. O índice de 16,4 mortes a cada mil nascimentos inclui crianças nascidas vivas e que morreram antes de completar o primeiro ano de vida.

O lançamento do Pacto com Novo Hamburgo para Redução da Mortalidade Infantil foi a resposta da Prefeitura frente ao quadro, propondo ações como o oferecimento de atenção integral às gestantes e às crianças de zero a um ano de idade, que correm algum tipo de risco de mortalidade. A iniciativa integra o atendimento prioritário nas Unidades Básicas de Saúde.

O programa não prevê nenhum tipo de investimento para aquele que é considerado como uma das principais causas do agravo à saúde infantil: o saneamento básico. Águas e esgotos não tratados expõem as populações a inúmeras doenças, como infecções intestinais, cólera, leptospirose e verminoses. As crianças, obviamente, são mais vulneráveis.

Segundo relatório da UNICEF, países com altíssimas taxas de mortalidade infantil têm reduzida disponibilidade de águas tratadas. Atualmente, segundo o órgão, 2,5 bilhões de pessoas não desfrutam deste recurso.

Recentemente, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva declarou que o Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) do Saneamento Básico tinha o propósito de reduzir a mortalidade infantil no país. “A gente vai poder ver no Brasil as crianças brincando na rua sem ter esgoto a céu aberto, a gente vai poder ver as pessoas abrindo uma torneira e tirando água potável para beber, para lavar roupa, para tomar banho”, disse, na oportunidade.

“O grande problema do Brasil era que o Brasil tem uma cultura pequena de investimento em saneamento básico”, completou Lula. O que o presidente percebeu sem dificuldades, contrasta com a política historicamente adotada em Novo Hamburgo.

Por tudo isso, vale lembrar um alerta que o Movimento Roessler fez em edições anteriores do seu jornal: se não começarmos agora a tratar nosso esgoto doméstico, nossos filhos e netos não terão mais água para beber.

O município deve atacar a mortalidade infantil a partir de suas causas e é inegável que a falta de saneamento e tratamento de esgoto é uma delas. Em poucos anos, o número dos habitantes da região vai duplicar e não vamos ter água suficiente para abastecer tantas pessoas. Mais e mais pessoas irão lançar o seu esgoto diretamente no rio sem o mínimo tratamento.

A mudança pode começar por uma exigência nos projetos de instalação de novos loteamentos e condomínios na cidade: a opção pelo tratamento de esgoto com um sistema melhor do que fossa e filtro, que tem tecnologia mínima e custo semelhante a alternativas de melhor resultado.

Para efeitos duradouros e eficazes, a mudança de postura tem que começar de uma vez. As futuras gerações têm o direto de ter água boa para beber, ficando livre de doenças e dessa ameaça ainda mais grave: a morte.

É hora de agir.

Verdades ignoradas:

– 65% das internações hospitalares de crianças menores de 10 anos estão associadas à falta de saneamento básico;

– a falta de saneamento básico é a principal responsável pela morte por diarréia de menores de 5 anos no Brasil;

– em 1998, morreram 29 pessoas por dia no Brasil de doenças decorrentes de falta de água encanada, esgoto e coleta de lixo, segundo cálculos da FUNASA;

– os índices de mortalidade infantil em geral caem 21% quando são feitos investimentos em saneamento básico;

– as doenças decorrentes da falta de saneamento básico mataram, em 1998, mais gente do que a AIDS;

– a utilização do soro caseiro, uma das principais armas para evitar a diarréia, só faz o efeito desejado se a água utilizada no preparo for limpa;

– 15 crianças de 0 a 4 anos de idade morrem por dia no Brasil em decorrência da falta de saneamento básico, principalmente de esgoto sanitário;

– isto significa que uma criança de 0 a 4 anos morre a cada 96 minutos em nosso país por falta de saneamento.

Fonte: www.esgotoevida.org.br

Crédito da foto esgoto: Gilberto Winter

Comments(6)

  1. josefa says

    não gostei!!!!!!!!!!!!!!!!!!

  2. Yamara says

    Amei!

  3. Jessyca says

    A verdade é essa mesmo a cada dia tem crianças vítimas de doenças
    como diarreia,desnutrição entres outros o motivo A FALTA DE SANEAMENTO BÁSICO
    esses politicos não fazem nada para mudar não tomam uma medida pelo mesmo para
    amenizar a situação, só querem prometer e nada faz sendo nós mesmo as vítimas !

    Espero que tenham consciencia e olhem pelo lado do povo brasileiro.

  4. Fany! says

    Gostei do texto mas fiquei trizte com o conteúdo!

  5. bethania says

    parabéns,

  6. anderson says

    Essa rede de esgoto preçisa de saniamento basico pois ela deveria ser trata por pessoas que querem o melhor para esse municipio .
    Emtão se todos colaborasem seria melhor a todos obrigado pela atemção obrigado …..//////~~~

Post a comment to Jessyca