Desastre Ambiental na Barragem das Laranjeiras

Na manhã do dia 20 de outubro de 2020 o rio Paranhana foi agredido por uma grave intervenção sem prévia autorização ambiental. A Companhia Estadual de Energia Elétrica (CEEE) abriu as comportas da barragem das Laranjeiras no município de Canela liberando uma enorme quantidade de lodo no rio, causando contaminação e a morte de peixes.
A operação ocorreu sem que o Comitê de Bacia e outros órgãos responsáveis fossem avisados demonstrando total falta de transparência, desrespeito ao comitê, à população e a legislação ambiental, além dos danos ao rio e a fauna.
Após o incidente compareceram ao local a Secretaria de Meio Ambiente de Três Coroas, Defesa Civil, FEPAM e Brigada Militar que foram em primeiro momento impedidos de acessar o local por funcionários da CEEE. Enquanto isso o lodo se espalhava rio abaixo.
A mancha de lodo chegou no município de Parobé hoje às 06h com 950 uT (Unidades de turbidez). Sendo que a turbidez normal do rio fica entre 40 e 50 unidades. A turbidez do rio dos Sinos em São Leopoldo hoje é de 14 uT.
A APEDeMA-RS, do qual o Movimento Roessler faz parte de sua coordenação enviou ofício para a Secretaria Especial de Meio Ambiente (SEMA) cobrando esclarecimentos sobre se houve autorização ambiental emitida para a abertura das comportas e no caso da inexistência de autorização, ou em desacordo com a emitida, que seja enviada a providência legal tomada. A Apedema também cobra informações sobre a razão pela qual a população não foi alertada sobre o procedimento.
O Movimento Roessler segue na busca de informações e ações que esclareçam e solucionem o problema ocorrido.

Foto: Jornal NH.

Comments are closed.