Aquecimento também é local

Impactos locais do fenômeno mundial são alvo de grupo que tem a sua primeira reunião nesta quarta-feira

A partir desta quarta-feira, Novo Hamburgo formaliza a discussão sobre o aquecimento global. Um grupo de trabalho está sendo idealizado pelo Movimento Roessler pela Defesa Ambiental e irá se reunir pela primeira vez a partir das 20 horas, na sede da entidade, na rua Santos Pedroso, 470, sala 2. Qualquer pessoa pode participar do encontro.

Ao justificar a importância do envolvimento da comunidade hamburguense na discussão, o presidente do Movimento Roessler, Markus Wilimzig, se baseia nos estudos existentes sobre o fenômeno.

Segundo ele, sabe-se das conseqüências do aquecimento de uma forma globalizada, porém, não há informações nem um debate sobre os impactos no Estado, na região e, muito menos, no município.

O grupo deve primeiramente realizar um levantamento e um catálogo dos dados existentes sobre o tema na internet, jornais e revistas, buscando notícias atualizadas sobre as mudanças climáticas. Também há a intenção de convidar pessoas que trabalham na área de climatologia a se integrarem ao grupo.

O segundo passo deve ser a avaliação dos dados, com o foco nos sinais das mudanças climáticas mais evidentes e do que deve vir pela frente. Por último, estará a fase de desenvolvimento de medidas, a partir da avaliação do impacto das alterações sobre Novo Hamburgo e como a população pode se preparar para elas.

Wilimzig adianta que todo o trabalho do grupo deve resultar em um documento com sugestão de medidas a serem adotadas pelo Poder Público, como forma de prevenção e também de ação frente aos problemas.

Contatos para participar do grupo podem ser feitos pelo e-mail roessler@pop.com.br.

Fonte: http://novohamburgo.org

Comments are closed.