• Portas abertas para a privatização da água

    Ao exigir lucratividade, o novo marco regulatório do saneamento impede investimentos estatais, precariza a oferta de serviços públicos e deixa gestões municipais reféns do setor privado. O direito à água limpa e segura não tem vinculação jurídica no Brasil, embora o país tenha aderido à decisão da ONU, em 2010, de inserir essa universalização no […]

    Continue reading